19/21 rue des Fossés Saint-Jacques
75005 PARIS (place de l’Estrapade)
À 20 m du Panthéon... Tél. : 01 43 36 34 37
Du lundi au samedi, 11-13h 14h-19h
(horaires souvent dilatés...)
Métros : Luxembourg, Cardinal Lemoine, Place Monge – Bus , 21, 27, 82, 84, 89
  •  
La Librairie, c'est aussi

A irmandade dos romeiros

A irmandade dos romeiros, par Collectif
Auteur : Collectif
Autres : Alexandre Coutinho, Luís Filipe Mota Machado, Pedro Mota Machado
Editeur : Lucerna
Nombre de pages : 160
Date de parution : 2006
Langue : Portugais
Prix : 22,00 €
ISBN : 972-883-527-2
Disponibilité : En stock En stock

Na ilha de São Miguel, nos Açores, a tradição das Romarias Quaresmais data de tempos remotos. Há cerca de 500 anos, às primeiras horas do dia 22 de Junho de 1522, um violento sismo arrasou por completo a então capital da ilha, Vila Franca do Campo, deixando um rasto de destruição e morte (estima-se que tenham perecido mais de cinco mil pessoas). Um dos primeiros trabalhos terá sido a construção de uma pequena ermida consagrada a Nossa Senhora do Rosário, aonde os populares se dirigiam vindos dos mais diversos lugares da ilha, implorando à Virgem pelas suas vidas.

Na sua crónica Saudades da Terra, escrita entre 1586 e 1590 (um ano antes de falecer), Gaspar Fructuoso situa o início das Romarias após os “castigos” que afligiram a população da ilha de São Miguel no século XVI. Curiosamente, pouco antes do início do seu povoamento, assinalam-se duas erupções (1439 e 1444) na ilha do Arcanjo, cujo posicionamento rigoroso ainda não se encontra esclarecido.

No tempo em que Gaspar Fructuoso escrevia a sua preciosa crónica, já as Romarias Quaresmais tinham entrado no domínio da vida religiosa micaelense, perdurando nos séculos seguintes, sendo também conhecidas por “visitas às Casas de Nossa Senhora”.

As Romarias de São Miguel constituem a peregrinação mais completa que se efectua, hoje, em Portugal. Trata-se de uma manifestação genuína de fé que emana do povo e é absolutamente única no mundo, por se tratar de um périplo em torno da ilha, que começa e termina na mesma igreja. Normalmente, uma peregrinação pode ter vários pontos de partida – tantos quantas as origens dos peregrinos – e um só destino, um local de oração ou de celebração.

Conditions générales de vente, frais d'envoi et délais - Crédits
Librairie Portugaise - 19/21 rue des Fossés Saint-Jacques, Place de l’Estrapade, 75005 Paris
Tous les livres en portugais et en français sur le Portugal, le Brésil, l'Angola, le Cap Vert, la Guinée-Bissau,
le Mozambique, São Tomé & Principe et l'Histoire des Découvertes - librairie.portugaise@wanadoo.fr